A cadeia de valor resiliente

As empresas não podem evitar a volatilidade e a incerteza, mas podem e devem tomar ações específicas para aumentar a resiliência de suas cadeias de valor. Definimos resiliência nesse contexto como a capacidade de uma organização de continuar gerando lucro econômico por meio de mudanças cíclicas e estruturais na oferta e na demanda.

Na prática, a resiliência possui um componente de produtividade e um componente de flexibilidade. A produtividade alta e em constante crescimento ajuda a empresa a proteger suas margens, permitindo realizar mudanças menores e dando-lhe o poder de fogo financeiro para responder às maiores.

Enquanto a flexibilidade de uma cadeia de valor é determinada por sua capacidade de continuar gerando lucro sob diferentes condições de oferta e demanda. 

Uma empresa pode reduzir seus custos com a queda da demanda?

Ela pode aumentar a produção para aproveitar os picos do mercado?

Ela pode ajustar suas atividades de compras para se beneficiar de flutuações nos custos de insumos?

Os líderes da maioria das organizações já entendem o papel crítico que as operações desempenham no desempenho geral dos negócios. Acreditamos que a próxima fronteira para muitas empresas será o desenvolvimento de modelos operacionais que adotam a resiliência: capazes de suportar choques e capturar oportunidades emergentes com mais rapidez e eficácia do que os de seus concorrentes.

Onde sua organização deve concentrar seus esforços? Suas respostas para as três perguntas abaixo podem fornecer um guia.

1.Que oportunidades foram difíceis de buscar devido à falta de recursos ou capacidade de resposta em sua organização?

2. Quais são os pontos mais inflexíveis em suas operações atuais e quais são os motivos implícitos à rigidez?

3.Onde o uso de soluções digitais e analíticas pode alcançar mudanças significativas nos indicadores de desempenho mais importantes para sua organização?

 

Autores:

Dominik Lelièvre – sócio do escritório de Munique da McKinsey,

Philipp Radtke – sócio sênior e co-líder da Prática de Operações Globais da McKinsey,

Marta Rohr – diretora de Operações Práticas em Milão da McKinsey, e

Rafael Westinner – sócio do escritório de Madri da McKinsey.

Veja o artigo completo aqui.

 

Converse com um Especialista. Agende uma visita.

Deixe uma resposta