A Crescente Importância do Compliance

Independentemente do porte e setor da empresa, é fundamental que os negócios estejam de acordo com as regras dos órgãos reguladores. O negócio precisa cumprir com as normativas internas e estender essa prática de conformidade legislativa ao Compliance nas áreas: ambiental, trabalhista, financeira, de segurança, contábil, entre outras.

Cinco pontos de atenção impactam os Programas de Compliance nas organizações:

  1. Segurança de informações e privacidade de dados

O mundo virtual faz parte do mundo real. Dados se tornaram um ativo valioso, sendo base de muito modelos de negócios. A diferença é que o valor da informação se tornou maior com a lei 13.709/18, conhecida como Lei Geral de Proteção de Dados, a entrar em vigor em fevereiro de 2020. Ela traz regras de consentimento, obrigações na proteção de dados, diretrizes para segurança de informação e reporte de incidentes, sanções que as organizações podem sofrer na ordem de 2% do faturamento até o limite de 50 milhões de reais, entre outros.

  1. Ampliação do universo de riscos de Compliance

Além do tema segurança de informações e privacidade de dados e promoção da cultura ética, questões como prevenção à lavagem de dinheiro, práticas concorrenciais, e outros devem entrar no radar, inclusive como resultado do mapeamento de riscos de Complaince.

  1. Promoção de ações de respeito à diversidade e de combate ao assédio

Há um aumento das denúncias de assédio moral nos últimos anos, que pode ser explicado pela maior conscientização dos colaboradores, seu empoderamento, regras claras providas pelas empresas através do código de ética e a adoção de ferramentas como o canal de denúncias. Torna-se importante a parceria das áreas de RH e Compliance das organizações para promover um ambiente de trabalho saudável e respeitoso que evite a judicialização com custos financeiros diretos.

  1. Ampliação do uso de tecnologias

É visível os diversos e distintos níveis de maturidade existentes no quesito tecnologia nos Programas de Compliance das empresas. O uso de algorítimos e soluções automatizadas nos controles internos é uma prática em evolução, e o RPA (robotic process automation) é ainda pouco disseminado, mas deve iniciar um movimento de adoção pelo Compliance daqui prá frente. A aposta na inteligência artificial continua, em especial no suporte à dúvidas sobre a aplicação de regras e na identificação de fraudes em potencial.

  1. Incentivos aos Programas de Compliance

Apesar dos esforços para criar uma cultura de Compliance, os funcionários são muito menos propensos a compreendê-la a ponto de tomar medidas adicionais para garantir um comportamento mais compatível, especialmente porque eles não sentem que podem ganhar com isso. Por esta razão, é fundamental fornecer incentivos para a força de trabalho das empresas que alinhem seus interesses pessoais com os do Compliance. Entre os incentivos mais poderosos são aqueles ligados à avaliação de desempenho; se os funcionários são avaliados com base na sua adoção de práticas empresariais éticas, com compensações ligadas a essas avaliações, eles serão muito mais propensos a manter alto o cumprimento de espírito.

O Compliance é, compreensivelmente, uma fonte de grande preocupação para a maioria das grandes empresas. Quando há uma liderança sênior que dê o exemplo positivo, com incentivos e treinamento para os funcionários certos, as companhias podem melhorar e muito suas chances na batalha para ficar fora de problemas com os reguladores e maximizar o tempo e esforço despendido no crescimento do negócio.

 

Converse com o Especialista. Agende uma visita.

Deixe uma resposta