Equipes em Tempos de Crise

O cenário econômico do país pede cautela. Mas o trabalho não pode parar! Empregados preocupados, desmotivados e sem perspectivas afetam o desempenho de equipes e o resultado de todo o time

A palavra “crise” faz parte do dia a dia dos brasileiros. Seja em uma conversa na pausa para o cafezinho, nos noticiários e no estica-e-puxa do orçamento de empresas e famílias. A boa notícia é que o Brasil é conhecido pela capacidade de superação e adaptação da população. Dentro das empresas, a palavra “crise” ganha conotações que mexem com todo mundo. Os empregados ficam preocupados, com medo de perder o emprego; os diretores ficam atentos aos movimentos de mercado para garantir a longevidade do negócio em qualquer cenário.

Incentivar é sempre importante. Em uma recessão, porém, não é apenas importante: é fundamental. Se não houver uma equipe engajada, você perde também a única forma viável de sair de uma crise econômica. É papel dos líderes encontrarem maneiras de manter acesa a chama da motivação entre os seus liderados para que eles possam dar o melhor de si.

Dicas

Dicas de como motivar a equipe em tempos de crise:

. Estabeleça metas.

. Dê feedbacks sempre que possível.

. Comunique-se com sua equipe.

. Promova um esquema de rodízio, no qual os funcionários trocam suas funções de tempos em tempos.

. Valorize seus colaboradores.

Independente de qual contexto em que a liderança atua, todos que exercem esta função deparam com crises em algum momento de sua trajetória de vida. Na prática, ‘ser líder’ é sinônimo de resolver problemas. E para solucioná-los, no campo das decisões, independente de qual categoria que estas possam se enquadrar (financeira, técnica, social, política, familiar, etc ), um bom líder sabe que no centro de tudo estão as pessoas, que são seus liderados, seus clientes,  seus parceiros, seus fornecedores, seus familiares,  enfim, quando a crise é aguda, são essas pessoas que serão afetadas diretamente pelas decisões que serão tomadas.

O que complica em uma crise é que a motivação baseada na necessidade de vender mais para garantir boas comissões e remunerações satisfatórias não é, por si só, suficiente.

O cenário econômico desastroso acaba implicando na queda do consumo; ou seja, uma força que os vendedores não têm controle.

Logo, o papel dos gestores é encontrar meios de manter os funcionários comprometidos com as metas da empresa, a fim de gerar bons retornos em meio a turbulência.

 

Converse com um Especialista. Agende uma visita aqui.

Deixe uma resposta