Mindset e Liderança

Um líder que apresenta uma mentalidade fixa pode levar a empresa à falência. Um pesquisador descobriu que quando executivos focam apenas em sua reputação pessoal, isso pode custar muito para a empresa.

Por exemplo, Lee Iacocca ajudou a restabelecer a Chrysler no mercado, então ele se concentrou na própria reputação. Enquanto ele estava preocupado com isso, a empresa entrou em declínio.

O mesmo estudioso descobriu que executivos que se enxergam como gênios ou visionários não montam ótimas equipes. Executivos com mindset de crescimento estão no oposto extremo. Tome como exemplo Jack Welch, que conseguiu aumentar o valor de mercado da GE em mais de 450 bilhões de dólares em cerca de 20 anos.

Welch conseguiu a posição de topo na GE assumindo que ele não era um gênio e prometendo que estava disposto a aprender. Essa abordagem funcionou para gerar mais engajamento dos funcionários e diminuir barreiras internas.

Welch cometeu um erro que custou milhões de dólares quando adquiriu a Kidder, Peabody & Co., mas aprendeu a partir dessa ação a linha tênue entre excesso de confiança e falha.

Bons líderes têm um desejo em aprender. Estudos mostram que não existe isso de “líder nato”. Pessoas se tornam líderes mudando suas personalidades.

Em vez de tentar encontrar futuros líderes pelo talento nato, as empresas devem diferenciar os candidatos a cargos de liderança pelo seu potencial de desenvolvimento individual e oferecer oportunidades para eles aprenderem novas capacidades.

Na verdade, quando as organizações dão a chance de aprendizado aos seus colaboradores, elas permitem que eles avancem, ganhem mais e se tornem mais preparados para os desafios da carreira.

Fonte: Livro Mindset – Carol S. Dweck.

 

Pergunte ao Especialista. Agende uma conversa aqui.

Deixe uma resposta